UFSC Sustentável
  • Projeto de Recuperação Ambiental do Bosque do CFH ganha prêmio do Ministério do Meio Ambiente

    Publicado em 11/06/2018 às 9:24

    O Projeto de Recuperação Ambiental do Bosque do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH), da UFSC, está entre os 12 finalistas da 7ª edição do Prêmio A3P Melhores Práticas de Sustentabilidade, concedido pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) do Governo Federal. A cerimônia de recebimento acontecerá dia 23 de agosto, no Auditório da Imprensa Nacional em Brasília. No evento, será divulgada a classificação dos projetos e os vencedores por categorias, mas todos os finalistas receberão prêmios.

    O A3P é um programa do Ministério do Meio Ambiente. Seu nome completo, Agenda Ambiental na Administração Pública, remete à iniciativa de implementação de práticas socioambientais pelos órgãos públicos do Brasil. O prêmio é entregue a cada dois anos desde 2009, e já contemplou 68 projetos por todo o país.

    A Recuperação Ambiental do Bosque do CFH agora é um deles. Única iniciativa catarinense a ser premiada este ano, o projeto é uma parceria entre a Coordenadoria de Gestão Ambiental da UFSC, o Núcleo de Estudos em Permacultura e a Comissão de Revitalização do Bosque. Através da implementação de Sistemas Agroflorestais, o objetivo é de recuperação da flora e fauna do Bosque, com o intuito de tornar o espaço agradável e útil para a comunidade e promover a educação ambiental.

    Cartaz com mapa explicativo. Foto: Facebook/ProjetoBosqueCFH


  • UFSC promove Seminário Campus Inteligente na quinta-feira, 14 de junho

    Publicado em 11/06/2018 às 8:34

    O Departamento de Projetos de Arquitetura e Engenharia (DPAE) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) promove nesta quinta-feira, dia 14 de junho, o Seminário Campus Inteligente: Infraestrutura e planejamento urbano. O evento será realizado no Auditório da Reitoria do campus Trindade, a partir das 8h30. Aberto à toda comunidade, o seminário está em sua primeira edição, as inscrições são gratuitas e podem ser realizadas neste link até terça-feira, 12 de junho. A programação completa está no cartaz abaixo. Mais informações, como os minicurrículos dos palestrantes, estão disponíveis na página do Facebook do DPAE.


  • Laboratório da UFSC é modelo em controle de qualidade de alimentos

    Publicado em 21/05/2018 às 17:42

    Com prestação de serviços à comunidade, o Laboratório de Análise de Alimentos (LABCAL) da Universidade Federal de Santa Catarina é referência nacional em inspeção de alimentos industrializados. Dividido em seis núcleos de pesquisa, as principais áreas de atuação são análises de fraudes na composição e existência de pelos de roedores, fragmentos de inseto ou ácaros nos alimentos. Desde o início de seu funcionamento, nos anos 80, o Laboratório segue protocolos rígidos de segurança para proteger tanto o consumidor, quanto as indústrias.

    A credibilidade do LABCAL foi atestada por importantes órgãos públicos. O Laboratório é autorizado a participar de licitações governamentais, pelo reconhecimento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), em 1999, e do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), em 2014. Mais informações podem ser encontradas no site do LABCAL e na página 22 do décimo volume da Revista da FAPEU.

    Segundo a Revista FAPEU, o grão de café é um dos produtos com mais tentativas de corrompimento da legislação. Foto: GS/Global


  • Projeto de extensão da UFSC oferece atividade física para comunidade

    Publicado em 15/05/2018 às 11:39

    Desde março de 2013, o campus Trindade da Universidade Federal de Santa Catarina oferece, através de projeto de extensão, oportunidades para práticas esportivas guiadas pelos professores do Centro de Desportos (CDS). Aberto à comunidade, a iniciativa para incentivar atividades físicas cobra inscrições semestrais que variam entre R$ 50 a R$ 150 para financiamento. Entre 2013 e 2016, o projeto atendeu quase 15 mil pessoas e foi renovado até pelo menos 2019.

    As vagas estão disponíveis para todas as faixas etárias. Natação infantil, hidroginástica para a terceira idade, balé, forró, yoga, musculação, atletismo e projetos especiais para pessoas com deficiência física estão entre as atividades ofertadas. O restante das modalidades esportivas podem ser conferidas no site do CDS. As informações são da décima edição da Revista FAPEU.

    Vista panorâmica da estrutura do Centro de Desportos da UFSC. Foto: Site do CDS/UFSC

     


  • Coleta Seletiva Solidária é implementada na Moradia Estudantil da UFSC

    Publicado em 11/05/2018 às 12:39

    A implementação da Coleta Seletiva Solidária (CSS) na Moradia Estudantil da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) ocorreu hoje, dia 11 de maio, no jardim da casa dos estudantes. Dentre os parceiros do projeto, estão a Coordenadoria de Gestão Ambiental e a Fundação Municipal do Meio Ambiente. A iniciativa foi pensada a partir do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de Ronan Caetano, residente da moradia. Novas placas foram instaladas para que a coleta se torne mais fácil. No sábado, dia 19, haverá reunião entre os residentes da Moradia Estudantil e os parceiros do projeto para discutir a organização da Coleta Seletiva Solidária, além da possibilidade de criação de composteira ou minhocário.

    A Coleta Seletiva, que já funciona em outros setores da UFSC, é instituída pelo Decreto Federal no5940/2006. Tal lei serve tanto para diminuir o volume de resíduos que são enviados para aterros sanitários, como o de Biguaçu, quanto para apoiar cooperativas de catadores de material reciclado, já que discorre sobre a “separação dos resíduos recicláveis descartados pelos órgãos e entidades da administração pública federal direta e indireta, na fonte geradora, e a sua destinação às associações e cooperativas dos catadores de materiais recicláveis”.

     

    Placas de educação ambiental sobre o caminho dos rejeitos, recicláveis e orgânicos sendo expostas na Moradia Estudantil. Foto: Lívia Schumacher/CGA

     

     

     


  • UFSC integra rede de estudos de microalgas para produção de biodiesel

    Publicado em 08/05/2018 às 9:56

    Em conjunto com outras nove universidades e institutos, a Universidade Federal de Santa Catarina passou a integrar a Rede Microalgas para a Produção de Biodiesel, que pesquisa, em âmbito nacional, o cultivo das microalgas na produção de biocombustíveis. O projeto iniciou em 2016 e teve orçamento de quase 500 mil reais, disponibilizados pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

    A UFSC contribui com a pesquisa através do Laboratório de Cultivo de Algas (LCA), vinculado ao Departamento de Aquicultura do Centro de Ciências Agrárias. Além de biocombustível, as proteínas das células de microalgas servem para ração animal, indústria alimentícia, farmacêutica e de cosméticos, como explica o coordenador do projeto Roberto Bianchini Derner, para a Revista FAPEU. Mais informações sobre a Rede Microalgas estão disponíveis no site do LCA e na página 60 do décimo volume da Revista da FAPEU.

    Laboratório de Cultivo de Algas (LCA), na UFSC. Foto: Roberto Derner


  • Laboratório de Psicologia Ambiental organiza minicurso

    Publicado em 04/05/2018 às 12:40

    O Laboratório de Psicologia Ambiental (Lapam) da Universidade Federal de Santa Catarina promoverá o minicurso gratuito “Psicologia ambiental e bem estar no espaço institucional” entre os dias 25 de maio a 26 de junho. Os seis encontros semanais acontecerão às sextas-feiras, da 13h30 às 16h30, na sala 321 do Centro de Filosofia e Ciências Humanas.

    No total, são 18 horas de duração, com emissão de certificado pela UFSC. O minicurso é aberto à toda comunidade universitária e as inscrições com vagas limitadas vão até o dia 24 de maio, através deste link. Para mais informações, acesse o site do Lapam ou entre em contato pelos e-mails  e 

     


  • Cursos da UFSC prestam consultoria a empreendedores rurais e pesqueiros

    Publicado em 04/05/2018 às 11:01

    Estudantes e professores da Engenharia de Produção e do Design Gráfico da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) estão auxiliando 27 empreendedores rurais e pesqueiros de Joinville, Florianópolis e Blumenau. O propósito é inserir cada vez mais a agricultura familiar no mercado estadual. Com o objetivo traçado, o projeto diagnostica fatores como competitividade e sustentabilidade dos produtores, para programarem ações estratégicas.

    O apoio dos acadêmicos da UFSC é, entre outros, criar ou modificar as identidades visuais das marca,  desenvolver embalagens e rótulos para os produtos e guiar registros de patente. Além do Design e da Engenharia de Produção, o projeto é apoiado pela FAPEU, pelo Banco Mundial, pela EPAGRI e pela iniciativa governamental Programa SC Rural. Mais informações estão disponíveis na página 26 do décimo volume da Revista da FAPEU.

    Planejamento de agricultura familiar. Ilustração: SEBRAE


  • Mesas Redondas Semana do Meio Ambiente 2018

    Publicado em 04/05/2018 às 9:22

    Dia 29 de maio será um dia dedicado as mesas redondas.

    Inscreva-se!!
    goo.gl/VQzk5E 

       


  • Pesquisadores da UFSC criam Selo Verde para rodovias

    Publicado em 27/04/2018 às 11:57

    Os engenheiros civis da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) desenvolveram mecanismo para medir a adoção dos critérios de sustentabilidade e responsabilidade socioambiental nas estradas do Brasil. A partir do projeto “Rodovias Verdes”, que funciona desde 2009 vinculado ao Programa de Pós-Graduação da Engenharia Civil, criou-se o “Selo Verde Rodovias”. O certificado foi baseado nos estudos “Greenroads” de 2007, feitos por pesquisadores da Universidade de Washington, Estados Unidos.

    O selo funciona a partir de créditos. Cada fase da estrada (projeto, construção, operação e manutenção) conta com fatores determinantes diferentes, e cada um deles tem créditos distintos, a partir de sua importância. A soma resulta em limites de crédito positivo que foram divididos em cinco níveis. O primeiro é quando a estrada não ganha certificação: a soma dos créditos atinge 50% ou mais do valor máximo (160). No segundo nível, quando a soma atinge 70%, a rodovia já ganha certificado. O terceiro e quarto são quando atingem até 80 e 90% – ganhando certificação prata e ouro, respectivamente.

    O último patamar é o Selo Verde. O certificado vai para aquelas estradas que atingem mais de 90% do máximo de créditos possíveis. Assim, a rodovia é considerada amigável ao meio-ambiente e ao usuário. Mais informações sobre o projeto estão disponíveis no site do Rodovias Verdes ou na página 63 do décimo volume da Revista FAPEU.

    Foto: Ricardo Giaviti