UFSC Sustentável
  • Consumo consciente: faça valer o seu papel!

    Publicado em 28/08/2017 às 13:02

    A higienização das mãos é um hábito importante que evita a proliferação de germes e a transmissão de doenças. Tão importante quanto a prática de lavar as mãos, é o ato de secá-las1.

    O método mais comum para a secagem das mãos, mas não muito sustentável e benéfico ao ambiente, é o uso do papel toalha. Isso porque o papel toalha não pode ser reciclado, sendo diretamente descartado como rejeito*2.

    Outros meios utilizados para a secagem das mãos são os secadores que utilizam ar quente ou jato de ar, métodos mais modernizados, porém com maior probabilidade de espalhar vírus e bactérias no ambiente, aumentando os riscos de contaminação por patógenos1.

    UFSC e consumo de papel toalha

    Na UFSC, o maior gasto com material de expediente é relacionado a folhas de papel toalha. São consumidas, em média, 200.000 folhas de papel toalha por ano3!

    Uma das metas do Plano de Logística Sustentável da UFSC é a redução em 20% da utilização de folhas de papel toalha. Com isso, será possível reduzir os gastos financeiros e diminuir o impacto ao ambiente4.

    Como resolver o problema do uso de papel toalha?

    A melhor maneira é diminuir o consumo! Para isso, após a lavagem das mãos é importante chacoalhá-las para tirar todo o excesso de água, possibilitando a utilização de apenas UMA folha para cada lavagem5! Caso o papel seja de baixa qualidade, a utilização de DUAS folhas é suficiente.

    Devemos ter consciência sobre tudo aquilo que consumimos. O ambiente agradece!

    *Rejeito é todo material que não pode mais ser reaproveitado, não havendo alternativa a não ser o descarte, ou seja, é todo o material que não pode ser encaminhado para a coleta seletiva, nem para a compostagem. Os rejeitos são destinados aos lixões ou aterros sanitários6.

     

     

    REFERÊNCIAS

    1BEST, E.L.; PARNELL, P.; WILCOX, M.H. Microbiologiacal comparison of hand-drying methods: the potencial for contamination of the enviroment, user, and bystander. Journal of Hospital Infection, v. 88, p. 199-206, 2014. Disponível em

    <http://ac.els-cdn.com/S0195670114002461/1-s2.0-S0195670114002461-main.pdf?_tid=f7156190-6251-11e7-b9f4-00000aacb360&acdnat=1499349163_e215af7beb81e4061386b0098dbd7b45> Acesso em 06 jul. 2017.

    2INSTITUTO GEA. O que pode ser reciclado? Disponível em <http://www.institutogea.org.br/lixo/o-que-pode-ser-reciclado/> Acesso em 06 jul. 2017.

    3UFSC. 14ª ata da Reunião da Comissão de Sustentabilidade. Disponível em <http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:QLwa4sAFkKgJ:comissaodesustentabilidade.ufsc.br/files/2015/04/ATA_14_Comissao_Sust_15.12.2015.docx+&cd=2&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br> Acesso em 06 jul. 2017.

    4UFSC. Minuta PLS 2017. Disponível em <http://ufscsustentavel.ufsc.br/files/2017/04/MINUTA-Relat%C3%B3rio-PLS-2017.pdf> Acesso em 06 jul. 2017.

    5RECICLANDO IDEIAS. Como secar as mãos usando o papel toalha corretamente. Disponível em <http://www.reciclandoideias.com.br/como-usar-o-papel-toalha> Acesso em 06 jul. 2017.

    6BRASIL. Lei nº 12.305/2010. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm> Acesso em 17 jul. 2017.


  • TABAGISMO: problemas e tratamento

    Publicado em 21/08/2017 às 8:55

    O que é e quais os problemas

    O tabagismo, segundo a Organização Mundial da Saúde, é a primeira causa de morte evitável do planeta, sendo causada pelo ato de consumir derivados do tabaco que contenham a nicotina como princípio ativo, dentre os quais o cigarro é o mais comum6,10,11. Além da nicotina, substância que causa dependência dos usuários, o cigarro apresenta mais de 4,7 mil substâncias tóxicas e nocivas, que podem levar a doenças cardiovasculares, doenças respiratórias e ao câncer8,11.

     

     

    Fonte: Cigarro Mata

    A inalação da fumaça por indivíduos não fumantes, os chamados fumantes passivos é tão ou mais nociva do que a fumaça inalada pelo próprio fumante, pois contém três vezes mais nicotina e monóxido de carbono e cinquenta vezes mais substâncias cancerígenas. O fumante passivo pode apresentar desde reações alérgicas (rinite, tosse, etc.), até problemas mais graves, como infarto agudo do miocárdio, câncer do pulmão, enfisema pulmonar, bronquite9.

    Além dos danos causados a saúde dos usuários, a cadeia de produção do tabaco prejudica os produtores e a própria natureza. Entre os malefícios pode-se citar: adoecimento dos produtores por pesticidas e manipulação da planta, desmatamento para a plantação e secagem das folhas, incêndios causados pelo descarte indevido de bitucas de cigarro, poluição do ar devido à fumaça e descarte inadequado de bitucas, que levam mais de cinco anos para se decomporem, além de poderem ser ingeridas por animais causando sua morte1,7.

    Legislação brasileira

    O poder legislativo do Brasil criou algumas leis na tentativa de amenizar o consumo de fumígenos, assim como a diminuição do tabagismo passivo.

    A Lei nº 9.294/1996 veda a propaganda comercial de fumígenos, a não ser nos locais de venda e com restrições, além de exigir a veiculação de mensagem de advertência sobre os malefícios do seu uso3.

    Além disso, dado por redação da Lei nº 12.546/2011, passou a ser proibido o uso de qualquer produto fumígeno em recinto coletivo fechado4.

    Vamos parar de fumar? – Tratamento

    O SUS oferece tratamento gratuito para a população! A equipe responsável avalia os casos de dependência individualmente, conhecendo o histórico dos pacientes e verificando a terapia mais indicada para o caso2,12.

    Em Santa Catarina, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE) apresenta em seu site os locais de atendimento para tratar a dependência do fumo5.

    UFSC e tabagismo

    Além do serviço do SUS, o Serviço de Atenção Psicológica (Sapsi) da UFSC também auxilia os dependentes de fumo a largarem esse hábito. O programa abre inscrições algumas vezes no ano para o Grupo de Cessação do Tabagismo. Informe-se pelo telefone (48) 3721-9402 ou pelo e-mail vidasemcigarro.ufsc@gmail.com13.

    Benefícios

    Parar de fumar traz muitos benefícios2:

    • A pressão sanguínea volta ao normal nos primeiros 20 minutos;
    • Em duas horas, não há mais nicotina no sangue;
    • Nas oito horas seguintes o nível de oxigênio no sangue se normaliza;
    • Em dois dias, o olfato e o paladar ficam melhores;
    • Três semanas após parar de fumar, a respiração e a circulação sanguínea melhoram;
    • Em longo prazo, de 5 a 10 anos, os riscos de sofrer infarto equivalem aos de uma pessoa que nunca fumou.

     

    REFERÊNCIAS

    1BRASIL. Fumar: faz mal pra você, faz mal pro planeta. Disponível em <http://www.dive.sc.gov.br/conteudos/agravos/publicacoes/Folder_campanha_tabagismo_2012.pdf> Acesso 03 jul. 2017.

    2BRASIL. Ministério da Saúde. Alguns passos para parar de fumar. Disponível em <http://saudebrasilportal.com.br/eu-quero-parar-de-fumar/passos-para-parar-de-fumar> Acesso em 03 jul. 2017.

    3BRASIL. Lei Nº 9.294 de 15 de julho de 1996. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9294.htm> Acesso em 03 jul. 2017.

    4BRASIL. Lei Nº 12.546 de 14 de dezembro de 2011. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Lei/L12546.htm#art49> Acesso em 03 jul. 2017.

    5DIVE. Tratamento. Disponível em <http://www.dive.sc.gov.br/index.php/teste-tabagismo> Acesso em 03 jul. 2017.

    6FIOCRUZ. Tabagismo – O Mal da Destruição em Massa. Disponível em <http://www.fiocruz.br/biosseguranca/Bis/infantil/tabagismo.htm> Acesso em 03 jul. 2017.

    7INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER. Dia Nacional de Combate ao Fumo. Disponível em <http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/dia_mundial_sem_tabaco/site/2012/meio_ambiente_tabaco> Acesso em 03 jul. 2017.

    8INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER. Tabagismo. Disponível em <http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/acoes_programas/site/home/nobrasil/programa-nacional-controle-tabagismo/tabagismo> Acesso em 03 jul. 2017.

    9INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER. Tabagismo Passivo. Disponível em <http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/acoes_programas/site/home/nobrasil/programa-nacional-controle-tabagismo/tabagismo-passivo> Acesso em 03 jul. 2017.

    10ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE. Tabagismo. Disponível em <http://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=574:tabagismo&Itemid=463> Acesso em 03 jul. 2017.

    11PORTAL BRASIL. Tabagismo. Disponível em <http://www.brasil.gov.br/saude/2009/11/tabagismo1> Acesso em 03 jul. 2017.

    12PORTAL BRASIL. Unidades de saúde têm tratamento gratuito para tabagismo. Disponível em <http://www.brasil.gov.br/saude/2017/05/unidades-de-saude-tem-tratamento-gratuito-para-tabagismo> Acesso em 03 jul. 2017.

    13UFSC. Serviço de Atenção Psicológica abre inscrições para ‘Grupo de Cessação do Tabagismo’. Disponível em <http://noticias.ufsc.br/2017/05/servico-de-atencao-psicologica-abre-inscricoes-para-grupo-de-cessacao-do-tabagismo/> Acesso em 03 jul. 2017.


  • Evite a gripe!

    Publicado em 14/08/2017 às 11:35

    O que é?

    A gripe é uma doença respiratória viral causada pelo vírus Influenza. Esta se caracteriza por um início repentino dos sintomas, que são sistêmicos, como febre, calafrios, tremores, dores de cabeça e musculares, cansaço; e respiratórios, como coriza, dor de garganta e tosse1,4.

    O vírus Influenza pode ser classificado em três tipos: A, B e C. Os tipos A e B são responsáveis pelos quadros mais severos da doença e pelas epidemias sazonais, sendo o tipo A mais comum no Brasil e do tipo B menos frequente1,3. O tipo C causa apenas infecções respiratórias moderadas, não sendo responsável por grandes epidemias. Os vírus Influenza do tipo A ainda podem ser classificados em subtipos segundo as proteínas Hemaglutinina (H) e Neuraminidase (N), encontradas na superfície do envelope viral. Desta forma, encontram-se entre as variações de Influenza A, temos o H1N1, H3N2, entre outros1,4,7.

    No caso da Influenza A, os sintomas são mais severos: o paciente apresenta febre alta (acima de 38ºC) e de início repentino, irritação nos olhos, exaustão física, dores de cabeça, muscular, de garganta e nas articulações e maiores chances de agravamento para um quadro pulmonar. Os sintomas se estendem entre 3 e 7 dias e essa piora ocorre devido a uma resposta mais intensa do sistema imunológico3,4.

    Em Santa Catarina, o vírus com maior circulação no ano de 2017 é o Influenza A (H3N2). Até o dia 21 de junho, foram notificados 773 casos suspeitos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), dos quais 160 foram classificados como sendo causadas pelo tipo A (H3N2). Foram registrados 24 óbitos, todos resultantes de infecção por Influenza A (H3N2). Desses, 16 óbitos foram de pessoas com mais de 50 anos2.

     

    Transmissão

    A gripe está em circulação durante o ano todo, mas há um aumento nos períodos mais frios devido a maior aglomeração de pessoas em locais fechados ou com pouca ventilação1.

    A transmissão se dá via secreções respiratórias, portanto, um indivíduo pode contrair a gripe quando faz contato com algum indivíduo infectado ou com alguma superfície contaminada1,6.

    Os locais mais propícios para a transmissão do vírus são os ambientes com pouca ventilação ou totalmente fechados, ambientes domiciliares, ônibus, creches e escolas, etc1.

    Grupos de maior risco

    Todas as pessoas estão suscetíveis à infecção viral, contudo alguns grupos apresentam risco aumentado para complicações, tais como: gestantes, puérperas, pessoas com mais de 60 anos, crianças com menos de 2 anos, indivíduos com doenças crônicas (diabetes descompensada, obesidade, cardiopatia, doenças respiratórias crônicas), indivíduos imunossuprimidos, entre outros1,8.

    Vacinação

    Os vírus da gripe apresentam alta capacidade de mutação (modificações genéticas). Por isso, todos os anos a Organização Mundial da Saúde (OMS) indica uma determinada formulação baseando-se nos tipos e subtipos de vírus circulantes naquele período4.

    Em 2017, o Ministério da Saúde lançou a campanha de vacinação entre 17 de abril e 26 de maio7 e foi prorrogada até dia 9 de junho para alcançar a meta de 90% do público mais vulnerável5. O Estado de São Paulo ainda prorrogou a data até dia 7 de julho9. Além disso, várias clínicas particulares estão realizando a vacinação.

    Cuidados para evitar a transmissão do vírus

    Para evitar a gripe é importante tomar algumas medidas preventivas5,6, tais como:

    • Ao tossir ou espirrar, cubra o nariz e a boca com lenços descartáveis ou com o antebraço;
    • Evite tocar a boca e o nariz;
    • Lave as mãos com frequência, utilizando água e sabão, principalmente após tocar o nariz e a boca ou superfícies suscetíveis à contaminação. Se possível, faça uso de álcool gel;
    • Abra as janelas e melhore a circulação de ar em seu local de trabalho, no ônibus, na escola, em casa, etc.;
    • Evite locais com aglomeração de pessoas;
    • Cuide-se! Mantenha seu sistema imune e todo seu organismo saudável. Alimente-se e durma bem, pratique alguma atividade física;
    • Vacine-se.

     

    Em casos suspeitos de Influenza A, procure imediatamente uma unidade de saúde!

     

    REFERÊNCIAS

    1DIVE. Gripe – Santa Catarina. Disponível em <http://www.gripe.sc.gov.br/#/a-gripe> Acesso em 21 jun. 2017.

    2DIVE. Informe Epidemiológico Nº 12/2017 – Vigilância da Influenza (Atualizado em 21 de junho de 2017). Disponível em <http://www.dive.sc.gov.br/index.php/arquivo-noticias/546-informe-epidemiologico-n-12-2017-vigilancia-da-influenza-atualizado-em-21-de-junho-de-2017> Acesso em 29 jun. 2017.

    3DRAUZIO VARELLA. Gripe H1N1. Disponível em <https://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/gripe-h1n1/> Acesso em 30 jun. 2017.

    4FIOCRUZ. Gripe ou resfriado? Virologista da Fiocruz explica a diferença. Disponível em < http://portal.fiocruz.br/pt-br/content/gripe-ou-resfriado-virologista-da-fiocruz-explica-diferen%C3%A7a> Acesso em 21 jun. 2017.

    5PORTA BRASIL. Campanha contra a gripe é prorrogada até 9 de junho. Disponível em <http://www.brasil.gov.br/saude/2017/05/campanha-contra-a-gripe-e-prorrogada-ate-9-de-junho> Acesso em 29 jun. 2017.

    6PORTAL BRASIL. Medidas preventivas são essenciais para evitar a gripe. Disponível em <http://www.brasil.gov.br/saude/2014/04/medidas-preventivas-sao-essenciais-para-evitar-a-gripe> Acesso em 21 jun. 2017.

    7PORTAL DA SAÚDE. Nota informativa e recomendações sobre a sazonalidade da influenza 2017. Disponível em <http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/leia-mais-o-ministerio/414-secretaria-svs/vigilancia-de-a-a-z/influenza/22873-informacoes-sobre-gripe> Acesso em 21 jun. 2017.

    8PORTAL DA SAÚDE. Vacinação. Disponível em <http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/leia-mais-o-ministerio/416-secretaria-svs/vigilancia-de-a-a-z/influenza/l2-influenza/10959-vacinacao-influenza> Acesso em 21 jun. 2017.

    9SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO. Campanha de vacinação contra o vírus influenza é prorrogada até dia 7 de julho. Estado de São Paulo amplia grupos prioritários para a vacinação. Disponível em <http://www.saude.sp.gov.br/coordenadoria-de-controle-de-doencas/homepage/noticias/campanha-de-vacinacao-contra-o-virus-influenza-e-prorrogada-ate-dia-7-de-julho.-estado-de-sao-paulo-amplia-grupos-prioritarios-para-a-vacinacao> Acesso em 29 jun. 2017.

     


  • Divulgação da campanha de conscientização “Adote uma caneca”

    Publicado em 18/07/2017 às 15:27

    Dados do Plano de Logística Sustentável da UFSC mostram que entre os anos de 2015 e 2016 o consumo de copos foi reduzido em 18,5%. Ainda assim, a UFSC consumiu 1.152.400 copos descartáveis em 2016 .

    Os copos plásticos descartáveis são prejudiciais ao meio ambiente, demorando de 200 a 400 anos para se decomporem, apenas 20% deles são reciclados, uma vez que sua reciclagem não apresenta vantagem econômica para o catador. Além disso, algumas pesquisas apontam que o copo plástico quando em contato com substâncias quentes pode produzir substâncias carcinogênicas.

    Dessa forma, a Gestão Ambiental da UFSC está divulgando a campanha “Adote uma caneca” nos centros e unidades administrativas.

    Intervenção da campanha “Adote uma caneca” na reitoria.

    Cortinas de copos já utilizados estão sendo colocadas em pontos estratégicos, com a quantidade de copos plásticos consumidos por cada centro e unidade administrativa, com o objetivo de chamar a atenção para o tema, e conscientizar os passantes sobre a importância da adoção de um recipiente duradouro para consumo de líquidos.

     

    Intervenção da campanha “Adote uma caneca” na reitoria (Esq.) e no Centro Sócio-Econômico (Dir.)

    A intervenção já passou pelos centros CFM, CED, CFH, CCJ, CSE, CCE e agora encontra-se nas reitorias e no CCB. O objetivo é que até o final do ano as cortinas ainda passem por outros centros, principalmente os maiores consumidores que são CTC e CCS.

    Intervenção da campanha “Adote uma caneca” no Centro de Ciências Biológicas.


  • Ginástica laboral na UFSC

    Publicado em 05/07/2017 às 16:55

    Você sabe o que é Ginástica Laboral?

    É uma série de exercícios a serem realizados no ambiente de trabalho a fim de melhorar a qualidade física e mental dos trabalhadores. A prática consiste em alongamentos, exercícios respiratórios, reeducação postural, entre outros¹.

    São inúmeros os benefícios dessa prática, dentre os quais se destacam¹:

    • Prevenção de lesões laborais, como LER e DORT;
    • Diminuição do sedentarismo;
    • Melhorias no condicionamento físico;
    • Redução do cansaço e combate a tensões;
    • Melhoria da autoestima e produtividade;
    • Benefícios ao organismo de forma geral.

     

    Você sabia que na UFSC está acontecendo a prática de Ginástica Laboral?

    A atividade acontece todas as segundas, quartas e sextas, às 10h e às 16h no hall ou em frente à Reitoria I.

    Para mais informações, procure a Secretaria de Esporte (SESP) através do site sesp.ufsc.br‘².

     

    Fonte: Departamento de Atenção à Saúde

     

    PARTICIPE!

     

    REFERÊNCIAS

    ¹INBEP. Ginástica Laboral: 9 benefícios no ambiente de trabalho. Disponível em <http://blog.inbep.com.br/os-9-beneficios-da-ginastica-laboral-no-ambiente-de-trabalho/> Acesso em 29 jun. 2017.

    ²NOTÍCIAS DA UFSC. Ginástica Laboral todas as segundas, quartas e sextas. Disponível em <http://noticias.ufsc.br/2017/06/projeto-ginastica-laboral-bem-estar-para-todos-comeca-dia-5-de-julho-na-ufsc/> Acesso em 29 jun. 2017.


  • Divulgados arquivos das apresentações da semana do meio ambiente UFSC 2017

    Publicado em 28/06/2017 às 14:10

    Seguem abaixo as palestras autorizadas para divulgação apresentadas durante a semana do meio ambiente UFSC.

     

    Mesa Redonda 1 (manhã): Produção e consumo de alimentos sustentáveis.

    Daniel Araújo –  Impactos Agrotóxicos e Transgênicos

    Daniel Venturi – Produção de alimentos com enfoque na Permacultura

     

    Mesa Redonda 2 (tarde): Cidades e construções sustentáveis

    Carolina e Ana Sarmento – BAIXO IMPACTO ARQUITETURA

    Rosana Correa – Casa do Futuro

    Marcelo Gomes – Pedra Branca

     

    Mesa Redonda 3 (tarde): Energias renováveis

    Giuliano Rampinelli – Geração de sistemas fotovoltaicos

    Rafael Ferreira – Energias alternativas na matriz energética

     

    Mesa Redonda 4 (noite): Resíduos sólidos

    Cristal Muniz – Um ano sem lixo

     


  • Coleta seletiva solidária da UFSC é tema do UFSC Entrevista

    Publicado em 26/06/2017 às 15:03

    O UFSC entrevista de 23 de Junho convidou as Engenheiras Sanitaristas e Ambientais Branda Vieira e Sara Meirelles que fazem parte da gestão de resíduos da UFSC, e Thaianna Cardoso, que é pesquisadora no laboratório de pesquisa de Resíduos Sólidos (LARESO), para falar sobre coleta seletiva solidária da UFSC, inaugurada no último dia 05 de Junho de 2017.

    Confira abaixo a entrevista completa.

     


  • TV UFSC divulga lançamento da coleta seletiva solidária

    Publicado em 26/06/2017 às 13:16

    A coleta seletiva solidária da UFSC lançada no último dia 05 de Junho foi ponto de pauta da TV UFSC.

    Participaram do evento o Reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo, a Prefeita Universitária Soeli Soares de Moraes, o  Secretário de Obras, Manutenção e Meio Ambiente Paulo Roberto Pinto da Luz, e membros representantes do Movimento de Catadores de Santa Catarina.

    O projeto foi apresentado pela Engenheira Sanitarista e Ambiental Sara Meirelles, coordenadora da coleta seletiva na UFSC.

    Sara ressaltou que a UFSC é o primeiro órgão público a cumprir totalmente o decreto federal 5.940 de 25 de Outubro de 2006, que obriga todos os órgãos de instituições públicas federal a separar e destinar seus resíduos recicláveis à associações e cooperativas de catadores.

    Para conferir a reportagem na íntegra, clique aqui.


  • Professor da UFSC participa do I Encontro Nacional de Pesquisadores em Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentável

    Publicado em 20/06/2017 às 15:52

    O professor Dr. Rogerio Portanova da pós-graduação de Direito e coordenador da Gestão Ambiental da UFSC, esteve apresentando seu painel “PERSPECTIVAS DO DIREITO AMBIENTAL NA ERA DO ANTROPOCENO” nos dias 07, 08 e 09 de Junho de 2017 do I Encontro Nacional de Pesquisadores em Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentável na sede da OAB/SP.

    O evento foi promovido pela Academia de Direitos Humanos e Comissão Permanente do Meio Ambiente da OAB/SP.

    Flavio Ahmed, Celso Fiorillo, Rogério Portanova e Márcia Buhring em um dos painéis.

    O professor Rogério Portanova (ao centro) e demais participantes.

     


  • Professores da UFSC participam do 22º Congresso Brasileiro de Direito Ambiental

    Publicado em 20/06/2017 às 13:46

    O 22º Congresso de Direito Ambiental realizado em São Paulo, entre os dias 03 e 06 de Junho de 2017, teve como tema “Direito e sustentabilidade na era do antropoceno: retrocesso ambiental, balanço e perspectivas”.

    Entre os trabalhos apresentados estava o do professor da Pós-Graduação de Direito e coordenador da Coordenadoria de Gestão Ambiental da UFSC, Prof. Dr. Rogério Portanova, que abordou as “Perspectivas do direito ambiental na era do antropoceno”.

    O professor Rogério Portanova (em pé) e o Professor José Rubens Morato Leite (de cinza claro) durante participação no congresso.

    Além da apresentação do Prof. Rogério, o congresso também contou com a organização e coordenação científica do Prof. Dr. José Rubens Morato Leito do curso de Direito da UFSC.

    Participaram ainda do evento a Profa. Júlia Silvia Guivant (PPGICH/UFSC), que falou sobre “Os desafios do acesso à uma alimentação sustentável” ,e o Prof. Julio Elias Normey-Rico (EPS/UFSC).

    Os anais do seminário podem ser conferidos no link http://www.planetaverde.org/arquivos/biblioteca/arquivo_20170605175106_890.pdf