Monitoramento de Manutenções em Hidráulica

Setores de Abastecimento de Água da UFSC: Relação entre consumo de água e manutenções em hidráulica

A comunicação de problemas de vazamentos ou pedidos de manutenção hidráulica em edificações na UFSC é realizada via sistema online SPA, na qual os administradores de edifício de cada unidade/departamento/centros possuem acesso e podem registrar a solicitação.

Estes pedidos são encaminhados para o DMPI (Departamento de Manutenção Predial e de Infraestrutura)/SEOMA, que gerencia o serviço de manutenção em hidráulica na UFSC.

Para ocorrências em áreas externas, o DMPI possui um formulário online, onde pessoas sem acesso ao SPA podem fazer comunicação de problemas diversos, entre eles de vazamentos. O formulário pode ser acessado em: http://dmpi.seoma.ufsc.br/contato/.

O acúmulo ou excesso de demandas em manutenção em determinado setor ou subsetor pode indicar a necessidade de revisão ou reestruturação de todo uma área de abastecimento, principalmente em instalações antigas.

Com o intuito de estabelecer um indicador de necessidade de reestruturação ou melhorias de redes e áreas de abastecimento, a CGA vem monitorando desde Janeiro de 2019, as solicitações de manutenção hidráulica realizadas via SPA de edificações e áreas externas (equipamentos hidrossanitários defeituosos, vazamentos em tubulações, caixas d’água e falta de água) encaminhadas ao DMPI, agrupando-as por setores e subsetores de abastecimento de água (veja mapa online dos setores), e relacionando-as com os maiores consumos (monitoramento do consumo de água).

Os relatórios mensais coincidem com o período de leitura de hidrômetros (geralmente realizada entre os dias 17 e 20 de cada mês).

Obs: Monitoramento somente em Florianópolis.

 

Gráficos e tabelas com os setores e subsetores com maiores solicitações.

A classificação de acordo com os maiores Índices de Prioridade permite verificar que dezoito unidades consumidoras da universidade são responsáveis por 70% dos registros de solicitação de manutenção devido problemas em tubulações, equipamentos, caixas de água ou por falta de água. Ainda, estas mesmas dezoito unidades representam 66% do volume total de água consumida no ano de 2019. Os dados obtidos são indicadores que demonstram que as ações de redução de perdas e de desperdício de água na universidade devem ser prioritárias nestes locais.

Até o mês de Julho de 2019, 15 unidades consumidoras eram responsáveis por 69% das solicitações e por 58% do volume consumido. Os resultados a partir de Agosto de 2019 refletem as ações de monitoramento do consumo de água e reduções de desperdócios e vazamentos, visto que o local da universidade que possuia o maior consumo mensal de água (CDS) passou por constantes melhorias até alcançar uma redução de 89% no volume.

Relatórios Mensais

Relatório Janeiro/2019

Relatório Fevereiro/2019

Relatório Março/2019

– Relatório Abril/2019

Relatório Maio/2019

Relatório Junho/2019

Relatório Julho/2019.

Relatório Agosto/2019.