Construções Sustentáveis
EMail

Segundo o Conselho Internacional da Construção (CIB), a indústria da construção civil é um dos setores de atividades humanas que mais consome recursos naturais, sendo responsável por cerca de 40% do consumo de energia, 30% dos resíduos gerados e 30% das emissões globais de gases de efeito estufa.

Mesmo que as novas construções sejam cada vez mais eficientes em relação ao consumo de água e energia, a fase operacional ainda causa grandes impactos, demandando uma quantidade volumosa de materiais e energia, geração de resíduos, elevado uso do solo, entre outros resultados de grande perturbação ambiental. 

Devido a todas essas informações e preocupações, surge então o paradigma da construção sustentável. Na Agenda Rio 21, formulada em 1992, um dos temas citados foi sobre construção sustentável para países em desenvolvimento mostrando a necessidade de uma maior interação entre a construção e o meio ambiente, sempre focando na qualidade de vida e ambiental. 

Desde 2009, as construções realizadas na Universidade Federal de Santa Catarina adotam critérios relacionados a construção sustentável, como pode-se observar nas portarias a seguir:

PORTARIA N.º 851/GR/2010, DE 28 DE JUNHO DE 2010.

PORTARIA N.º 850/GR/2010, DE 28 DE JUNHO DE 2010.

PORTARIA Nº 161/GR/2003, DE 28 DE ABRIL DE 2003.

PORTARIA Nº 0418/GR/2001, DE 31 DE JULHO DE 2001.

 

Confiram algumas apostilas e manuais sobre construção sustentável de diferentes regiões do Brasil:

Desenvolvimento com Sustentabilidade – Programa Construção Sustentável (CBIC) – aqui.

Manual de Obras Públicas Sustentáveis – São Bernardo do Campo – aqui

Manual de Projetos e Obras Públicas Sustentáveis para Serem Aplicados nos Campi da Univ. Federal do Ceará – aqui

Manual de obras Públicas Sustentáveis – Governo de Minas Gerais – aqui

Edifícios Públicos Sustentáveis – Senado Verde – Brasília – aqui