Campanha Adote Uma Caneca

A campanha “Adote uma Caneca” faz parte do Programa  “Reduzir o Consumo é Transformar o Mundo” do UFSC Sustentável. O objetivo específico dessa campanha é  reduzir o consumo de copos plásticos descartáveis na Universidade, incentivando a utilização de recipientes reutilizáveis em seu lugar.

Abaixo seguem algumas informações e dicas que devem ser colocadas em prática por todos:

(versão deficientes visuais)

 

Não sabe qual é o melhor recipiente reutilizável  para ser utilizado? Saiba que todos apresentam vantagens e desvantagens, confira aqui as recomendações do E-cycle.

A campanha “Adote uma Caneca”  foi elaborada pela Agecom  em parceria com a Coordenadoria de Gestão Ambiental da UFSC. Para colocá-la em prática estão sendo distribuídos cartazes, adesivos, flyer on-line além da exibição de gifs e vídeos nas mídias sociais com informações e dicas . Caso você não tenha recebido o adesivo ou o cartaz em seu setor, entre em contato no telefone: (48) 3721-6103.

Abaixo os modelos das artes da campanha.Compartilhe no seu setor e nas mídias sociais!

FACE_gif_01_tchau           FACE_gif_02_primeiramente       FACE_adoteumacaneca-01

 

INSTA_alex_adote          INSTA_brad_meadota       cartaz_adoteumacaneca

 

REFERÊNCIAS:

[1] Dados de 2015 retirados do Sistema SOLAR da UFSC – Almoxarifado em 10 de março de 2016.

[2] ESPLANADA SUSTENTÁVEL. Dados do Projeto Esplanada Sustentável do Governo Federal. Disponível em: http://www.orcamentofederal.gov.br/projeto-esplanada-sustentavel/PES_Portal.pdf. Acesso em: jul. 2016

[3] MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE (MMA). Por um mundo menos descartável. Disponível em: http://www.mma.gov.br/estruturas/a3p/_arquivos/por_um_mundo_menos_descartvel_36.pdf Acesso em: jul. 2016.

[4] TOSI, Pedro Henrique; SILVA, Fernando; BEDIN. Término do uso de copos plásticos nas refeições da Unicamp.  São Paulo: Fea/Unicamp, 2016. Disponível em: http://www.ib.unicamp.br/dep_biologia_animal/sites/www.ib.unicamp.br.dep_biologia_animal/files/T%C3%89RMINO%20DO%20USO%20DE%20COPOS%20PL%C3%81STICOS%20NA%20UNICAMP%20.pdf Acesso em: jul. 2016.

[5]A3P. Problemas ambientais com a utilização dos copos plásticos descartáveis e uma alternativa de substituição. Economia financeira? Preservação Ambiental?. São Paulo, 2010.Disponível em: http://a3psp.blogspot.com.br/2010/10/problemas-ambientais-com-utilizacao-dos.html Acesso em: jul. 2016.

[6] AIRES, Luiz. Como reciclar copos plásticos. Ecycle. Disponível em:  http://www.ecycle.com.br/component/content/article/57-plastico/196-como-reciclar-copos-plasticos.html Acesso em: jul. 2016.

[7] PEREIRA, P.A.P., OLIVEIRA, R.F.S., DE ANDRADE, J.B. Determination of styrene in polystyrene cups by purge-and-trap followed by HRGC-FID. REVISTA: American Laboratory. UFBA. Vol. 36. P. 16-18. 2004. Disponível em: http://www.lpq.qui.ufba.br/publicacao.php?id=150&t=determination-of-styrene-in-polystyrene-cups-by-purge-and-trap-followed-by-hrgc-fidAcesso em: jul. 2016.

[8] IARC Monographs on the Evaluation of Carcinogenic Risks to Humans: Some traditional herbal medicines, some mycotoxins, naphthalene and styrene, Volume 82, WHO, International Agency for Research on Cancer, 2002. Disponível em: http://www.crios.be/Styrene/specific_classification/IARC.htm. Acesso em: jul. 2016.

[9]DAVIS, D. L. Environmental influences on breast cancer risk. Science and Medicine, V. 4, n. 3. p. 56. May – Jun 1997

[10] MASCARENHAS. Rita. Et al.Lixo marinho em área de reprodução de tartarugas marinhas no Estado da Paraíba. vista de Gestão Costeira Integrada 8(2):221-231 (2008)vista de Gestão Costeira Integrada 8(2):221-231. 2008. Disponível em: http://www.aprh.pt/rgci/pdf/rgci-138_Mascarenhas.pdf. Acesso em: jul. 2016.

[11] ECYCLE. Poluição plástica nos mares: problemas para a fauna e para o ser humano. Disponível em: http://www.ecycle.com.br/component/content/article/38-no-mundo/2092-poluicao-plastica-nos-mares-problemas-para-a-fauna-e-para-o-ser-humano.html. Acesso em: jul. 2016.

[12] ECYCLE. Prós e contras do plástico para o Meio Ambiente. Disponível em: http://www.ecycle.com.br/component/content/article/35/686-pros-e-contras-do-plastico. Acesso em: jul. 2016.